quinta-feira, 25 de outubro de 2012

DOM

"conseguir que as crianças se reúnam pela manhã ou pela noite é um desperdício dos pés dela e dos seus se você não colocar diante delas a verdade salvadora e sustentadora de almas.
Dar esse alimento é trabalho humilde, despretensioso, sem ostentação. Você conhece algum pastor de ovelhas?Posso até conhecer uma ou duas pessoas que seguem essa vocação, mas nunca ouvi ninguém falar deles como sendo grande homens; seus nomes não estão nos jornais, nem ouvimos falar deles como profissionais que entram na justiça com uma queixa, reivindicando leis para que sejam notados. Os pastores são geralmente pessoas quietas, discretas. Ao vermos um pastor, não percebemos diferença entre ele e um lavrador.Ele caminha sem reclamar durante todo o inverno e , no começo da primavera, não descansa nem de dia nem de noite porque os carneirinhos precisam dele; isso acontece ano após ano, mas ele nunca ganhará uma "insígnia imperial", nem será elevado a nobreza, embora possa ter feito um trabalho bem mais útil do que aqueles que entram flutuando para altos postos.Então, no caso de muito professor fiel de criancinhas, ouve-se pouco sobre ele, mas ele faz uma grande obra pela qual os tempo futuros o chamarão de bem-aventurado.
Seu Mestre conhece tudo a seu respeito, e naquele dia futuro ouviremos falar dele; talvez não antes."

Livro Pescadores de Crianças